E Tu terás estrelas como ninguém…


Minha avó

Dizem que minha avó foi a mulher mais bonita de sua cidade. Ainda pequena quando eu ia até Uruguaiana, todos me falavam: “Tu nem imaginas como tua avó era bonita, ela tinha olhos e cabelos negros e a pele bem branquinha, assim como tu”, era quase como uma lenda,  e eu me punha toda orgulhosa de ser neta  de Dona Flora.

A beleza da minha avo querida, não estava só por fora, esta é a verdade, ela era linda demais por dentro.

A beleza dela estava em sua coragem de viver cada momento da vida com graça, com intensidade, com paixão.

Aos 16 anos, ela estava prometida em casamento a um homem mais velho. Mas ela não o amava, ela amava meu avô, Armando.
Então faltando uma semana para o dito casamento, ela foi trabalhar no telégrafo, como sempre fazia, mas ao invés de cortar pela praça principal da cidade, virou na rua até a casa do meu avô e disse-lhe: “eu não vou me casar com outro, mas voce tem que me levar agora”.

Ela não tinha levava consigo nem roupas, nem dinheiro, só levava o vestido do corpo, o perfume que meu avô havia lhe dado em segredo e um amor imenso.

Então ela entrou no carro do meu avô e eles foram morar em sua fazenda.Fiacaram escondidos por la durante 4 anos.
Lá eles tiveram 3 filhos, entre eles a minha mãe, e não tinham se casado nem na Igreja nem no civil, e foi um escandalo  em toda cidade. O pai dela, mesmo no leito de morte, negou-se a falar com minha avó uma última vez. Uma mágoa que ela guardaria por toda a vida, como uma vez me disse.

Depois eles voltaram a cidade e se casaram, e tiveram mais 3 filhos, sendo que um morreu ainda bebe. Ela cuidou de netos, irmãos, ajudou tanta gente que nem sabemos. Em sua casa em Uruguaiana, ela ensinava senhoras pobres a costurar, elas podiam levar seus filhos e todos almoçavam e lanchavam lá mesmo. No final ela gastava muito mais dando de comer a tanta gente que   o curso de costura nunca deu lucro. Ela sabia disso, mas era uma forma de ajudar aquelas senhoras sem ferir-lhes o orgulho, era o que ela me dizia.

Ela ficou viúva cedo e nunca mais se casou. Uma vez ela me disse , que depois de ter vivido um amor tão grande quanto o que ela tinha pelo meu avô, qualquer outro amor seria insignificante demais. Ela me contava que amava meu avô com seu coração e sua alma , e quando ela falava dele seus olhos brilhavam, era um amor para além desta vida. E eu sempre torci para um dia viver um amor assim, para reconhecer nos olhos de outra pessoa, o amigo, o companheiro de tanto tempo, de tantas vidas.

Da minha vó eu me lembro:

– do perfume de rosas que ela usava.
– do pure de batata que ela me fazia no meio da tarde(eu pedia de pura gula mesmo)
-das manhas na cozinha como sua ajudante
-do travesseiro pequenino que ela fez para mim quando eu era bebe, e que ainda guardo.
-do seu olhar para mim, aquele olhar que transbordava em amor
-do seu abraço apertado
-das blusas de lã que ela mesmo fazia para mim, eram tão quentinhas …
-das empadinhas que dividiamos todos os dias depois que eu saia das aulas de ballet
-das histórias contadas, e muitas vezes inventadas por ela, para que eu dormisse
-de quando eu tinha 6 anos e fui morar longe dela, lembro que nos prometemos falar nos sonhos todas as noites ( promessa que nunca quebramos, ate hoje sonho com ela)
-de quando eu aprendi a escrever , e toda semana mandava uma carta para ela, sem falhar uma semana.
-de quando iamos a praia e eu tentava com minhas maõs tao pequenas de criança , levar espuma do mar pra ela, mas a espuma sempre escorria pelos meus dedos, e ela ria se parar e me abraçava.
-ela me ensinou a observar o céu, o vento, as plantas, colocava tango para eu ouvir, me contava historias de fantasmas para ver se eu ficava com medo, mas eu só ria e me escondia dela.
-me ensinou a cuidar das plantas, das pessoas.
-minha mãe contava que assim que nasci, foi minha vó que salvou minha vida com os chas ,remédios  e as rezas que só ela sabia fazer, porque nenhum remédio dado por medicos estava fazendo efeito.
-ela me chavama de lírio-lírio, dizia que eu era branquinha como um lirio, que era sua flor predileta.
-ela me contava estórias sobre eu ter vindo de uma estrela, e quando eu perguntava qual delas, ela me apontava as três Marias,e eu dava  risada dizendo que ia ser astronauta e iria até lá.E toda noite quando eu as vejo no céu, eu me lembro desta estória.
-ela me ensinou tanta coisa, mas principalmente a ser forte sem perder a graciosidade, a leveza.Ela era divinal, seu olhar era como um imã,ela era uma gigante de espírito.

Na noite anterior a sua partida, ela me apareceu num sonho, ela me dizia : hoje estou indo me encontrar com seu avô. Ele é aquele que só voce vê(porque eu sempre via meu avô e conversava com ele,quando era pequena,mas ninguém acreditava), eu estarei com ele, e nós sempre estaremos contigo.Meu coração ficou apertado, minha mãe e minha rimã também sonharam com ela aquela noite.Mas eu não contei nada sobre oque me foi dito.

Na manhã do dia seguinte minha vó morreu. Minha mãe me ligou, eu ja sabia mas deixei que ela falasse ,ela estava triste e me disse:” é tão estranho ficar sem mãe…” (alguns anos mais tarde eu saberia a exata medida desta ausência,quando minha mãe também se foi).
E eu pensei, também é estranho ficar sem minha avó. Porque ela não era só uma avó, era meu anjo da guarda. E neste dia,quando me avó se foi, no meu coração, ficou faltando um pedacinho, uma saudade física do beijos e abraços dela, daquele olhar que me entendia sem que eu dissesse uma unica palavra.

Fora isso minha avó esta sempre comigo, sua voz, como uma cançao aos meus ouvidos, vem com os ventos.Um elo mágio  nos une para sempre. Nos momentos mais difíceis, até quase pude sentir sua mão em minha mão segurando com força, e suas asas de anjo me envolvendo.


Minha avó-anjo-mãe-amiga-mestra, as palavras faltam, o amor por ela derrama-se no infinito.


” As pessoas tem estrelas que não são as mesmas…Tu porém terás estrelas como ninguém.
Quando olhares o céu a noite, porque habitarei nele, porque numa delas estarei rindo, então seŕa como se todas as estrelas te rissem! E tu terás estrelas que sabem rir!” (Antoine de Saint-Exupéry)

4 comentários sobre “E Tu terás estrelas como ninguém…

  1. que bom alguém assim escreveu da Avó.

    mais de metade
    das palavras
    dests palavras
    são nosso património comum.

    trago comigo
    todos os dias que o tempo tem
    a herança
    da minha Avó
    semprejunto ao coração
    onde está mais quentinho
    habitam a doçura do trato
    a gentileza do ser
    a abertura para deixar entrar
    todos
    e todos os dias
    o faço
    por amor
    a Ela

  2. Fiquei imaginando que ser maravilhoso é a sua avó!
    Certamente mais um anjo que Deus permite que venha até nós
    para sabermos e aprendermos o que é ser “humano”.
    Muito lindo o seu relato. Tenho uma avó tão linda como a sua
    e que está de partida para seu verdadeiro lar. Sentirei falta
    dela, mas sei que tudo o que vivemos me acompanhará por toda a
    minha vida. Abraço!

    1. sim, minha vózinha é fascinantemente maravilhosa(pode dois adjetivos serem usados desta maneira???rs), ela é meu anjo, quem olha por mim lá de cima, e agora está junto com minha mãe. Portanto tenho dois anjos no lugar de um🙂

  3. Chanceuse FernandaW ! Moi aussi j’ai connu une bonne grand’mère, celle de mon épouse. Elle est décédée à 97 ans, j’y pense tous les jours, c’est l’un des chiffres de ma carte de crédit !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s