Desafio Maternidade

Recebi de varias amigas no facebook o tal desafio maternidade, sei que foi de coração, pois todos amam e se divertem com os micro-contos de Sophia, baseados em fatos que passam no nosso dia-a-dia. Mas não participei. Fiquei sabendo mais tarde  que faz parte de uma campanha anti-aborto,não estou certa a respeito disto, mas  meu posicionamento é bem claro: toda mulher que precisar ou quer fazer aborto deve ter a liberdade , bem como, meios  decentes para faze-lo e apoio no pré e pós operatorio. Mas nem foi só isso que me fez desistir, isto na verdade foi a gota d’agua.

Na verdade quando recebi a primeira solitação do desafio, percebi tristemente que não tenho quase fotos com minha filha, a maior parte do tempo estamos só nós duas, tenho umas 5 mil fotos de minha filha e nem 20 com nós duas juntas. Foi um soco seguido de voadora da realidade, da minha realidade.  Estou há uma semana pensando nisto. Como assim tão poucas fotos!! O que aconteceu? Bem, no inicio tive uma mega depressão pós parto, não tinha vontade de fazer nada, com 3 meses de bebe recem-nascido meu marido entrou num projeto de trabalho e ficava toda semana fora de casa , só voltava final de semana. Eu aguentei depressão, cuidar de uma bebe, da casa e ainda atender no consultório 2 vezes por semana por quase 7 meses. E fotos?? quem liga pra isso ne? Sobriver a toda este furacão na minha vida já era uma vitória.

Depois o que aconteceu é que eu engordei horrores e tinha vergonha de tirar fotos, engordei amamentando tudo o que nao engordei na gravidez, eu que sempre fui magrela estava gorda. Tive uma familiar que antes de me deletar no facebook teve a crueldade de passar semanas fazendo piadas e indiretas sobre meu sobre-peso, ouvia de varias pessoas “amigas”: nossa o que aconteceu? voce era tão magra!!” Nao soube lidar bem com isso por um tempo. Então, quase sem fotos também.

Ai mudamos de país, deixei de vez de trampar, apesar de muitas coisas legais, ficar só em casa quase sem amigos para conversar foi dureza. No inicio me enfiava em loucas limpezas da casa para preencher minha solidão, e comia, é claro. Tirava mil fotos da Sophia, mas dela comigo jamais? “…eu estava acima do peso, nao estava arrumada, cabelo nao estava bom”, desculpas não faltaram. Até que comecei a recuperar o gosto por cuidar de mim, voltei pra terapia, me enfiei em algumas atividades, voltei pra academia. E quando olho para traz vejo varias coisas que podiam ter sido diferentes, mas não foram e eu quase não tenho fotos.

Ajudaria meu marido coloborar mais em casa, e olha que ele ajuda (não falo de dividir, que seria muito melhor)? talvez. Ajudaria ele, amigos, familia fossem mais sensiveis as minhas necessidades? acho que sim, mas o foco eram a bebe e no caso do meu marido, seu trabalho que mantinha a casa. E se ele tirasse fotos de nós duas, ajudaria? com certeza, no geral ele tirava e tira umas fotos de qualquer jeito, sem se preocupar como vão ficar,  fora de foco, enquadramento ruim, ele não gosta de fotos, mas eu gosto, onde ficaram meus desejos? Não acho que faça por mal, mas criou-se este habito que não olhar para mim e só existir a mãe , como um objeto inerte programado pra cuidar de um bebe. Percebi tristemente que assim tem sido tratada minha vida, de qualquer jeito, do jeito que dá, rapidinho,  fora de foco para o meu “eu”, em parte porque eu deixei, eu acreditei na mentira que “mãe se sacrifica por tudo e todos”, “tem coisas que só a mãe pode fazer” , e  em parte porque ninguém liga para a mãe, ninguém olha para a mãe e pergunta: e voce , como eu posso TE ajudar? A maternidade é “só alegria”, como voce pode ter momentos nao felizes?? E o que fazer com os  mil afazeres que não tinha antes e se depara só ,sem  ajuda, ou quase nenhuma?? Voce é adulta , se vira!! Poucos foram capazes de perceber que eu estava em mil pedaços. Mais empatia minha gente, menos julgamento. Só no ultimo ano voltei a tirar fotos. Dei um foda-se enorme para um monte de coisas e me coloquei no centro da minha vida de novo.

Ser mãe é a pior coisa do mundo?? Não!!  Tem muita coisa legal, muitos momentos memoráveis, mas podia ser infinitamente mais feliz se não fosse uma tarefa tão solitária, e exatamente por ser tão solitária se torna as vezes tão pesada. E isto não mudará enquanto continuarmos a criar homens diferente de mulheres, no que diz  respeito as responsabilidades da vida adulta, ambos devem cuidar da casa. E se resolverem ter filhos, que também dividam as tarefas refentes as crias, tirando amamentar o homem está apto a fazer todo o resto. Chega de sempre priorizar a carreira do homem em detrimento da nossa, isto deve ser conversado varias vezes , tem que ser bom para os dois, o que estava bom num momento pode não estar no outro. Parem de glamourizar que ficar em casa cuidando dos filhos só tem lado positivo, principalmente se ficamos longe da familia e amigos, sozinhas. Eu estou há 4 anos em casa e teve seus pontos positivos(muitos inclusive) mas tambem teve dias from hell, que eu pensei em ir embora ,deixar todo mundo e nunca mais mandar nem sinal de fumaça. Parem de endeusar a mulher que trampa e ainda cuida da casa , filhos e esta com corpo em forma, parem de colocar isto como meta, como algo para se admirar, isto é cruel, isto tem gerado uma multidão de mulheres infelizes consigos mesmas.

Parem de achar que mãe só pode elogiar a maternidade, que se reclamamos somos desnaturadas, mal amadas, precisamos de terapia, que somos loucas. Somos humanas, tinhamos uma vida completamente diferente antes do bebe, no geral ninguém conta a parte ruim, vendem um sonho disneylandico cor-de-rosa e não é nada daquilo, as coisas dão errado, saem fora dos planos, voce estará cansada quando quer na verdade brincar com seu filho, mas só consegue dormir, quer todo dia fazer uma comida legal, mas acordou com cólica, com enxaqueca e não tem ninguem para ajudar. Uma culpa monstro nos persegue, nos oprime. A barriga tanquinho é provável que nunca role, nem noites intermináveis de sexo selvagem. A vida muda, não necessariamente para pior, mas com certeza será muito melhor com um companheiro que ajude, com uma familia que não cobre perfeição, com amigas e uma sociedade que não exija que após o nascimento do bebe , apareça a super-mãe-que-tudo-suporta-multitarefa-e-com-a-bunda-dura-barriga-tanquinho-espaço-entre-as-pernas-ninfomaniaca-sorriso-propaganda-de-margarina.

Ser mãe não deve, nem pode ser padecer no paraíso , a maternidade destes novos tempos consiste em dividir os momentos de alegrias e dias from hell com alguem, seja ele o pai do filho,  ou uma familia que apoie, ou uma amiga(o) que ajude,  ou uma outra mãe que resolveu encarar a maternidade junta com a companheira, ou mesmo as mães solo precisam de um apoio. Mais empatia, menos julgamentos. O desafio esta na empatia meus amados e amadas, só com mais empatia poderemos perceber o outro e fazer um mundo melhor para os bebes que estão ai no mundo, e para nós também. Este post é baseado em minha experiencia pessoal, com pitadas de histórias reais de muitas amigas.

Funny-mom-quotes-selling-kids-300x217

2 comentários sobre “Desafio Maternidade

  1. Obrigado Gisele, sei bem como somos mal vistas por reclamar quando o mundo todo diz que nao importa oq ue passamos temos que ser agradecidas por ser mae, como se nao existisse partes ruins, como que nao suportar alguns dias ruins fosse um pecado sem perdão, como se nao fossemos humanas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s