O amor e não Amor

Eu amo até a ultima gota, para sempre,

Para nunca deixar o bem amado

Com toda alma, com desespero

Como se fosse o ultimo dia

Como um artista se fundindo com sua musa

Eu me diluo, eu aprendo a voar.

Uma nova galáxia surge.

Porém quando o amor acaba,

É como se nunca tivesse existido,

Um grande silencio, um buraco negro

O nada, o espanto, o olhar perdido no desconhecido

A eternidade de nao sentir, de não existir

De talvez nunca ter existido

A eternidade onde voce nao verá mais o seu reflexo,

Nem minha luz, nem minha escuridão.

E se juntará aos cacos e objetos do não-amor.

Meu amor não conhece o meio nem a teoria.

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s