poesia, Uncategorized

Lunar

Queria beber teus olhos

E guardar aqui dentro tua mirada

Fundir minhas mãos em tuas costas

Dar meu seio para tua boca se aninhar

Repousar no teu silencio e ouvir este coração clamante

Minha madrugada marinha

Meu azul tempestade

Te espero , me ardo, me consumo

Te caço e quase te devoro

E, então,  escapo volátil

Por não saber o que fazer

O amor aqui dentro explode em tantas formas…

O barulho das ondas quebrando

Voce, sempre foi voce.

 

 

 

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s