O mundo das hermozas palavricas

Eu escrevo para fugir da rudeza da realidade, do inferno lá fora. Escrevo sobre e para os amaldiçoados, para todos aqueles que vêem além dos portais, para todos que tem este dom da visão de mundos que não podem habitar, de outras realidades que não nos é permitido a estadia por muito mais que algumas horas durante a madrugada.

Andarilha sem destino, asas tortas, a madrugada é minha.

Estrelas cantam canções de ninar quando bailamos por entre elas, e os pés vão ficando mais lentos , vão se espalhando feito areias pequeninas  e virando granulos reluzentes que caem do céu quando ninguém esta olhando. Então eu varro minha varanda, junto toda esta poeira quase intangível , com ela faço um chá que cheira a jasmim estrelar , sorvo cada gole olhando o firmamento azul marinho que só existe de manhã  cedinho.

A saudade da madrugada é como uma trepadeira enrolando-se pelo nosso corpo, se alastra por cada parte dele,  cria raízes e depois faz brotrar flores por todos os lados, e você já nem consegue distinguir o que é saudade, o que é perfume e o que era voce pois se tornaram um só.

Hermozas palavricas : parece espanhol, mas na verdade é ladino. Ladino é o dialeto falado por judeus arabes. Um dos idiomas mais belos que existe.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s