feminismo

“Ah mas nem todos” e o mito do diferente

Cheguei num ponto que cansei para sempre de explicar o óbvio para quem está numa situação privilegiada, e não vê a opressão que até mesmo simples habitos causam. Fico triste em parte, mas o cansaço venceu, estou jogando a toalha como dizem. Eu percebi que não posso caminhar o caminho dos outros.

Foi a duras penas que eu aprendi como funcionava a opressão para negros, para LGTBs. Eu cresci num ambiente privilegiado, eu mulher branca, classe média alta, heterossexual, passei mais de 20 anos da minha vida sem nem imaginar o que passava ali do outro lado do muro. Não fazia nada de mal, mas não fazia nada para melhorar a situação dos outros…ou seja, quem não faz parte da solução, faz parte do que? Sim, eu era parte do problema, minha indiferença era parte do problema e não uma parte insignificante ,era uma das partes mais cruéis. Eu, que um dia, me achei boa pessoa….

Tive que passar anos trabalhando como voluntária numa favela para ver que os tons de cinza por lá tem muitas gradações. Há um universo de pessoas distintas com sonhos, anseios, crenças, lutas dentro de uma favela. Voce se surpreende quando descobre que, nem todos esperam o branco salvador da patria, que aquelas pessoas só querem trampar, ter uma vida decente e ficar em paz, ninguem tá ligando pro branco salvador, tirem esta idéia ridicula do imaginário de voces.  Tive que ver nos olhos de amigos gays queridos o medo de andar com seus amados de mãos dadas, algo tão natural para mim. O Brasil esta entre os países que mais matam homossexuais, até um encontro casual marcado em sites de relacionamento pode matar. Já pensou viver nesta matrix?

E, é por isso, que hoje vejo que, só entendemos o outro lado se estivermos realmente empenhados em desenvolver a empatia, se formos atrás de informação e o mais importante, temos que de alguma forma sofrer uma experiencia que nos doa, que a exclusão nos doa na carne. Com raras exceção, só entendemos a dor quando a sentimos.

Hoje eu percebo que apesar da minha vida não ser perfeita, eu nunca tive que passar por situações adversas pela cor da minha pele, orientação sexual ou classe social, só por isto já estou no lucro. Mas tive que passar muita merda por ser mulher. Por isto em algum nivel fica mais facil entender estas outras opressões. Mas foi uma longa estrada, um caminho que ninguém pode trilhar por voce, um caminho no qual voce se compromete a sempre caminhar e aprender, ler muito, ouvir muito (mais que falar) o que o outro tem a dizer, sem julgar pelas suas lentes (sua vida não é a do outro), temos que jogar fora verdades que não servem, não tem arrego, é pauleira todo dia.

Como é o feminismo o que esta mais proximo, já que sou eu quem sofro diretamente todas as merdas causadas pelo machismo, é obvio que é nele que eu mais batalho. E gente, como é dificil explicar coisas tão óbvias. Como é cansativo argumentar com homens que já começam o discurso “nem todos são assim, não pode generalizar”. Já pensou quando a Alemanha nazista perdeu a guerra e teve que assinar varios acordos com os países vencedores, entre estes acordos teve ressarcir em dinheiro vários grupos/nações? Nem todos alemães eram nazistas, nem todos queriam aquela guerra, nem todos odiavam judeus, nem todos…mas a nação toda teve que pagar pois não dava pra separ todos os grupos que faziam parte do “nem todos”. Então, sim eu entendo que nem todo homem vai passar a mão na minha bunda no trem, que nem todo homem vai me estuprar se eu beber mais do que devo, quem nem todo homem vai fazer piada machista e ignorar minha presença, e assim por diante. Mas é fato que num onibus eu vou ter medo de um homem, que se eu estiver sozinha numa rua a noite e ver um homem na minha direção, eu vou sentir medo, que se me incluirem num grupo de wahtsapp só de homens eu vou esperar piadas machistas e babacas…nem todos, mas boa parte. Então, antes de dizer “nem todos”, tenta imaginar toda merda que uma mulher já passou na vida por conta de homens escrotos, pensa bem e vê se este seu “nem todos” será realmente tão util quanto: poxa que chato, o que eu posso fazer para melhorar isto, me sinto mal por viver num mundo onde metade da população vai se foder por ter nascido mulher. Consegui ser clara?

Fica dificil para mim acreditar que, uma pessoa que começa com o discurso:  “nem todos, eu sou diferente, não vamos generalizar,” vai realmente fazer uma análise profunda do seu próprio comportamento, bem como se mexer para lutar uma luta que não é dele. “Tem muito homem babaca, mas eu sou legal”, dai deixa quieto piadas machistas em grupos de whatsapp, deixa quieto quando vê uma colega no trabalho ser assediada, deixa a coimpanheira cuidar de toda tarefa de casa (afinal ela parece gostar, ou se vira sozinha ou se me pedir eu faço algo).

calma homis

Como toda caminhada , os primeiros passos sao os mais dificeis, sair da inércia é dificil. Mas não precisamos colocar grandes objetivos, coisas simples como dar um toque no amigo que não é legal falar daquela maneira da colega de trabalho, que na sua frente ele nao vai tratar mulher como uma “coisa”, aprender a cozinhar pratos simples e dividir as tarefas de casa sem ser solicitado. Alias gente, aprender a fazer sua própria comida sem depender de um outro adulto é uma conquista que deveria ser alcançada por todos na adolescencia, indenpendente do sexo. Limpar a própria casa também. Dizer para o garçom quando vem dar a degustação do vinho, colocar um pouco na taça da mulher que esta com vc (sim, nós queremos degustar o vinho que vamos tomar com voces, nao precisamos do selo de aprovação de vinhos feito por voces). Quando voce se sentar no trem, onibus, não abra suas pernas de modo que nós tenhamos que nos encolher no banco ao lado, ocupem o seus espaços, não o nosso. Cansa cuidar de voces quando estão doentes e quando nós adoencemos temos que depender de amigas, maes, tias, outras mulheres ou mesmo nos virar sozinhas, isto não é parceria, isto é filhadaputagem. Homens, voces não imaginam o tanto de merda que uma mulher passa na vida, além das proprias merdas que é a vida adulta neste mundo cão e capitalista. Muitas de nós sempre parecem estar com raiva, querendo briga, mas é que cansa ser agredida de maneiras diferentes todo santo dia por toda vida.

A maioria de minhas amigas é hoje um muro de lamentações, sozinhas, exaustas, sem ninguem além de outras mulheres para escutar suas queixas. Se elas estão ai de pé , é em grande parte por conta de outras mulheres, de uma rede de apoio de mulheres. Já cheguei ouvir desabafo e dar ombro pra chorar à mulher desconhecidas que começaram a falar comigo em onibus, museus, na rua. As mulheres estão em pedaços. Nao faz muito tempo num museu uma mulher, daquelas inglesas discreta que mal dizem bom dia e jamais falaria da vida pessoal, começou a contar como era dificil cudiar de duas crianças, que estava exausta, ai quando percebi os olhos dela se encheram de lagrimas, como doeu aquilo. “Ah mas nem todos”, nem todos, mas a maioria. Se acham isto ruim, mexam-se homens, mudem esta realidade. Assumam sua parcela em ser parte do problema e sejam parte da solução

Da minha parte, cansei de explicar o óbvio para assumir que não sou eu quem explica mal, há uma possibilidade de não haver interesse em aprender, em ver o outro. Ficar repetindo “nem todos” é bem mais facil que tomar uma atitude. Quem quer vai lá e faz.

Sou uma mulher cansada. Enquanto voces continuarem repetindo “nem todos” e cuzarem os braços, sou eu, a mae de voces, a filha, a vizinha, todas mulher no mundo que estão se fodendo, não esperem minha admiração, paciencia ou qualquer solidariedade por quem esta ajudando a por peso (ainda que como um corpo inerte que nao faz coisas coisas malvadonas) na bota que me esmaga ok? Só atentem para o fato de que se “nem todos” fazem do mundo este lugar horrivel, todos nós estamos vivendo neste lugar horrível.

E se voce chegou até aqui, sugiro este video.

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s