contos

Mary&Jane

Há alguns anos num cruzamento de uma rua em Buenos Aires, eu esperava o farol abrir para os pedestres. Era verão, o verão quente e umido de Buenos Aires. Todos ali esperando um vento que trouxesse algum alívio temporário. E, quando a brisa resolveu dar o ar de sua graça, veio carregada de um cheiro forte de maconha.

Eu, olhei para cima, na varanda do primeiro andar do prédio mais próximo, estavam sentadas duas senhorinhas de uns 70 anos talvez. Elas riam alto e fumavam um baseado. Enquanto uma fumava e ria, a outra contava alguma história. O farol abriu , mas eu continuei lá embaixo, pois queria ouvir  o que elas diziam.

Pois, estas duas senhorinhas falavam sobre suas aventuras amorosas com direito a detalhes picantes sobre formas e tamanhos de penis (mais de um) que conheceram. Durante uns 10 minutos eu permaneci ali, enquanto o farol abria e fechava, e ri um bom tanto. Nada melhor que uma boa história contada por uma avó.

Para acompanhar este pequeno conto, minha homenagem a todos que foram gerados na decada de 70, como eu,  ao som de Jane Birkin e Serge Gainsbourg e que não ficaram caretas.

Advertisements

3 thoughts on “Mary&Jane”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s