contos

Microcontos

Uma vez numa livraria  em São Paulo, ocorreu uma história muito curiosa. Uma senhora muito bem vestida chegou pedindo 2 metros de livros.

Sem entender direito, a vendedora tentou esclarecer com a cliente o pedido, perguntando sobre o estilo de livros que a tal distinta senhora teria preferencia : ficção, literatura estrangeira, biografias, etc. Mas a cliente insistia nos 2 metros de livros.

Então, ela muito contrangida por ainda não entender o pedido, perguntou: por que exatos 2 metros de livros? E a distinta senhora repsondeu: Pois estou redocorando minha sala de estar, meu decorador me orientou a colocar alguns livros numa estante , eu medi e são 2 metros, pode ser qualquer livro, mas preciso de 2 metros.

 

And_so_was_his_grandfather_LACMA_63.11.39
Goya
Anúncios
Receitas

Kali’s Dream Curry

Do panteão dos deuses da mitologia hindu, Kali é minha predileta. Kali ou Kalica se origina da raíz em sanscrito da palavra Kala, que significa Tempo. Kali veio antes do Tempo existir, é a Grande Mãe. Os seus tres olhos representam o passado, o presente e o futuro. Em uma de suas mãos carrega uma espada com uma cabeça que ainda sangra, a espada foi usada em uma grande batralha onde venceu o demonio Raktabija. Kali é a deusa do sexo, do renascimento, ela e somente ela pode vencer a morte, pois atráves dela a criação emerge e eventualmente se dissolve.

Kali por todas suas características une o picante com algo de doce, daí criar esta receita com varios tipos de temperos picantes, com gengibre e com leite de coco. Já o peixe é muito utilizado como oferenda a deusa nos templos onde ela é cultuada.

Kali

 

 

 

 

 

 

 

 

Ingredientes :

500 gr de file de peixe branco cortado em cubos

1 cebola média cortada a brunoise

1 pimentão amarelo  cortado em tiras

2 tomates cortados em tiras e sem sementes

1 colher sopa de sementes de mostarda

2 colheres de sopa de curry picante

1 colher chá de curcuma

1 colher de chá de pimenta cayena

2 colheres de sopa de gengibre picado

3 dentes de alho picados

200 ml leite de coco

sal a gosto

100 ml de agua

coentro picado para decorar

Modo de Preparo:

  1. Numa pequena frigideira, sem azeite coloque os grãos de mostarda  até começar a “estourar”. Isto ativa o sabor da mostarde. Reserve.
  2. Adicione a cebola e o pimentão no azeite, até que comecem a ficar macios. Adicione o alho e o gengibre depois (a cebola e o alho fritam em tempos diferentes, se colocarmos juntos o alho queima e dá um gosto amargo).
  3. Adicione agua , o curry, curcuma, pimenta cayena e o sal misture bem. Deixe reduzir um pouco , uns 5 a 7 minutos em fogo médio, até reduzir pela metade a água
  4. Acrescente o leite de coco e a mostarda. Mexa bem
  5. Acrescente o peixe e deixe em fogo baixo até cozinhar e reduzir o líquido (cerca de 20 a 25 minutos)
  6. Ao servir , coloque o coentro (picado na hora) por cima para decorar.

 

Pode ser acompanhado com arroz jasmin com castanhas ou pão naan (de preferncia o leva folhas de hortelã)

20171102_091204

 

E para ouvir , o delicioso mantra da deusa Kali. Este mantra é conhecido por trazer concentração para os estudos, e para as mulheres, traz fortaleza e coragem para alcançar seus objetivos no mundo dominado por homens. Também afasta demonios que por ventura tentem impedir sua caminhada.

„Om Jayanti Mangala Kali,
Bhadrakali Kapalini,
Durga Kshama Shiva Dhatri,
Svaha Svadha Namostuthe.”

 

poesia

O mar

No jardim da minha casa de infância havia um parreiral cujos braços trepavam pelas vigas de madeira e criavam um teto de ramos entrelaçados. As uvas ficavam ali  penduradas como pequeninas lampadas. Quando a luz do sol passava por entre as folhagens e as uvas, adquiria um tom verde claro. Eu gostava de ficar deitada no chão vendo a luz verde claro que passava, gostava de olhar desenhos que se formavam na minha barriga e braços. Naquele quintal , enquanto a música tocava em uma vitrola antiga, eu imaginava mil realidades impossíveis.

Sozinha, eu brincava sozinha, mas aqui dentro sempre existiram estrelas nascendo e morrendo, um caleidoscópio de universos. Meu mundo aqui de dentro sempre foi tão vasto, como se o mar todo coubesse dentro do peito.  Neste oceano, as idéias rolam como as ondas, quebram umas contras as outras, dançam no mar mexido, mergulham e voltam a rolar, até que chegam na areia onde se esparramam preguiçosamente e deixam suspensas no ar pequenas gotas de água salgada carregadas de poesia.

Para me ler basta respirar o mar.

“O Mar, detá quitinho bô dixam bai….”

 

 

Receitas, receitas&memories, Uncategorized

Habemus Hummus

“Homus” como se fala em portugues, é uma palavra árabe (حمّص ḥummuṣ) que significa “grão-de-bico” e o nome completo do preparado em árabe é حمّص بطحينة ḥummuṣ bi ṭaḥīna, que significa “grão-de-bico com tahine”. É uma de minhas receitas preferidas.

Não se sabe exatamente sua origem, mas existem registros de um prato semelhante em um livro de receitas encontrado na cidade do Cairo, Egito, no século XIII.

É facil de preparar e combina com paẽzinhos, torradas, para fazer sanduiches e eu adoro para acompanhar kéfte. Só que deve ter um pŕe preparo de um dia de antecedencia. Segue  minha receita:

Pré Preparo

Um dia antes deixe num bowl 200 gr de grão de bico. No dia seguinte, cozinhe o grão de bico ate ficar bem macio, não jogue a agua fora. Escorra o grão de bico e reserve, deixe a água onde ele foi fervido em algum recipiente de reserva também.

Ingredientes

200 gr de grão de bico  já cozidos

4 dentes de alho (se voce não gosta tão picante, coloque só 2 dentes)

80 ml de suco de limão espremido na hora

2 colheres de sopa de tahine

1 colher de sopa de sal

1 colher de azeite de oliva

Água onde o grão de bico foi cozido.

Sumac

Modo de preparo:

Coloque num liquidificador o suco do limão, o tahine,o azeite de oliva, mais ou menos meia xícara da agua do cozimento, metade da quantidade do grão de bico e o sal. Bata até obter um creme, se estiver muito liquido adicione o restante do grão de bico, caso perceba que está muito dificil para bater no liquidificador acrescente um pouco mais da água do cozimento. É ela que vai dar o ponto, atenção para não colocar demais, senão o hummus fica muito pastoso para liquido, a dica é colocar aos poucos e ir batendo no liquidificador.

Coloque num recipiente e leve a geladeira, ele é melhor gelado. Eu gosto de polvilhar sumac por cima, dá um visual bonito além de acrescentar um gosto exótico.

20171023_191033

E para ouvir enquanto se cozinha, a voz deliciosa de Souad Massi

poesia

Praieira

Estou extasiada com esta poesia, como boa filha de Iemanjá, está poesia descreve minha alma de uma maneira tão completa.

portuguese/english

Quando eu morrer voltarei para buscar
Os instantes que não vivi junto do mar
De todos os cantos do mundo
Amo com um amor mais forte e mais profundo
Aquela praia extasiada e nua
Onde me uni ao mar, ao vento e à lua.

When I die I’ll be back to fetch
The moments I didn’t live by the sea
From every corner of the world
I love with a stronger and deep love
The rapt and naked beach
Where I joined  with the sea, the wind and the moon.

Sophia de Mello Breyner Andresen

quando-eu-morrer-voltarei

Gastronomia, Mon Bistro, Receitas, receitas&memories

Muffin Billie Holiday

Quando a filha com as bochechas mais macias e deliciosas pra apertar, pede bolinho de chocolate a gente faz né? Não tem como dizer não. Eu prefiro as receitas em com medidas em gramas e mililitros, porém todo meu equipamento de cozinha, incluindo a balança, ainda estão no porto de Auckland, esperando para serem liberadas. Mais pra frente devo trocar todas estas medidas no blog para facilitar quem quer repetir as receitas em casa.

Da série: ainda vou ter um restaurante cujo menu será só com nomes de mulheres fantásticas.

20170921_161705

Ingredientes:

  • 2 xícaras de farinha
  • 1 xícara de chocolate em gotas (ou picado)
  • 1 xícara de açúcar
  • 1/2 xícara de cacau
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 1 ovo
  • 1 colher (chá) de baunilha
  • 1 xícara de iogurte
  • 1/2 xícara de leite
  • 1/2 xícara de óleo

 

 

 

Modo de preparo:

Pré aqueça o forno enquanto prepara a receita.

Num bowl misture 3/4 xícara de gotas de chocolate, açúcar, cacau em pó e bicarbonato numa tigela. Em outro bowl misture o ovo, baunilha, iogurte, leite e óleo. Junte o conteúdo dos dois bowls e bata por 2 minutos em velocidade média até ficar homogêneo.

Coloque a massa nas forminhas, até 3/4 da altura, coloque as gotas de chocolate restante nas forminhas por cima da massa.

20171003_153119

 

Leve ao forno por 20 minutos (200°C), e espere esfriar para desenformar.

Com um café ou com um chá fica ótimo, e acompanhado com chutney de manga fica exóticamente delicioso. Voilá.

20171003_161730

 

Para ouvir: