carpe diem, poesia

O pão do meu verso

Meu verso é como pão do egito:

a noite passa sobre ele e já não podes mais come-lo

Devora-o enquanto esta fresco,

antes que o recubra a poeira do deserto.

Seu lugar é o clima cálido do coração,

ele não sobrevive ao gelo deste mundo

Jalal ud-Din Rumi

Anúncios