Musica

Di Melo, o soul brasileiro

E ai, que remexendo em lsitas antigas, encontrei esta mágica pérola. Quanta coisa boa neste album épico de Di Melo.

” Kilário!Raiou o dia, eu vi chover em minha horta…”

“Entrou em choque publicitário
Foi forte a queda do seu império
É golpe duro pra milionário
Com honorários tornar-se servo…”

“A cidade acorda e sai pra trabalhar
Na mesma rotina, no mesmo lugar
Ela então concorda que tem que parar
Ela não discorda que tem que mudar
Mas ela recorda que tem que lutar”

 

Advertisements
Gastronomia, Musica, Receitas

Purê de Abóbora com Gengibre

Conta uma lenda indígena que de foi de dentro de uma abóbora saiu todo o mar que conhecemos, uma estória que contarei mais tarde. O gengibre,este ingrediente picante, insinuante,suculento, quase como um carinho de gato, que as vezes machuca mas é tão delicioso. O gengibre é considerado afrodisíaco , o kama Sutra o descreve com efeito de despertar a energia sexual. Nada mais interessante que unir o sexo e o mar e servi-los a mesa.

Ingredientes:

750 gr de abóbora cozida e amassada (eu uso garfo ou fuet para amassar)

80 gr de ricota (tenha um pouco a mais se precisar melhorar a cosnsistencia do purê)

1/2 xícara de cebolinha picada (e mais um pouco para enfeitar se voce desejar)

1 colher de sopa  de gengibre em pó

sal e pimenta branca moida na hora

Modo de preparo:

A abóbora pode ser cozida tanto em agua fervente como no forno (no forno ela também fica macia e perde menos nutrientes, mas  atenção para não queima-la , senão fica um sabor residual levemente amargo).

Amasse os pedaços de abóbora com um garfo ou fuet, acrescente o gengibre, a cebolinha, o sal e a piementa. Misture bem, acerte os temperos se necessário. E é isto, simples e delicioso.

Na foto, está acompanhando hamburguer de lentilhas e salada. Estou desenvolvendo um menu vegano/vegetariano. Os hamburguer aindam estão em teste para ficar com uma consistencia mais adequada, assim que desenvolver a receita , compartilho com voces.

pure de abobora

Sugestão de musica para cozinhar:

L’amour c’est la mort
qui ouvre la porte
je vois, que tu sors
avec le sourire
L’amour c’est une voile
pleine d´étoiles
il faut, que tu ailles
chercher les yeux gris
partout…

 

Musica, sobre a vida

Blowin’ In The Wind

Há um parque em Auckland que fica no bairro de Orakei, e ao lado deste parque há um cemitério. A região foi alvo de disputas entre ingleses e os maoris, há uma longa história de negociações e interepretações errados de ambos os lados. Mas enfim, o fato é que hoje em uma parte do bairro há um parque e ao seu lado um cemitério antigo.

Já passamos algumas tardes lá. E em algumas eu pude observar aquele homem de longe. Leva consigo sempre uma mochila, cabelo desalinhado de morador de rua, um andarilho. Ele sempre está no cemitério, as vezes parece varrer as folhas que caem e se acumulam, esquecidas por sobre as lapides. As vezes ele parece falar com alguém, contar histórias, fica um bom tempo conversando em frente a uma lápide, e embora esteja longe o suficiente para que eu não escute suas conversas, elas me parecem muito cativantes, ele gesticula gentilmente e sorri, suas mãos parecem passaros voando. Em outros momentos ele deixa de conversar e começa a dançar, depois pára e fica quieto, numa postura silenciosa, olhar fixo, calmo. E se vai.

Com quem será que ele conversa? Qual sua história? Será que ele sabe que o tenho observado com muita curiosidade?

Ontem, depois de uma noite insone, eu estava no parque, esperando o tempo passar, até dar o horario de bucar minha filha na escola. Sentada ao sol para diminuir o frio, vi que ele dançava por entre os tumulos, eu sentada ao longe lia meu livro e durante algumas pausas o olhava. Ontem ele conversou com mais de um tumulo. Foi então, que pela primeira vez ele ao ivés de ir para o lado que costuma ir embora, mudou de direção. Veio na direção que eu estava. Ao passar por mim me deu Bom Dia e seguiu, preso a sua mochila um pequeno celular que tocava Bob Dylan.

Hey ! Mr Tambourine Man, play a song for me
I’m not sleepy and there is no place I’m going to
Hey ! Mr Tambourine Man, play a song for me
In the jingle jangle morning I’ll come followin’ you.
Though I know that evenin’s empire has returned into sand
Vanished from my hand
Left me blindly here to stand but still not sleeping
My weariness amazes me, I’m branded on my feet
I have no one to meet
And the ancient empty street’s too dead for dreaming.

Ah este Universo que fala atráves da música…

mulheres na musica, Musica, Uncategorized

Laila, Laila

 

Laila é minha palavra preferida na lingua hebraica, significa noite, foi uma das primeiras palavras que aprendi em hebraico. No arabe a pronúncia é quase a mesma Layl, já que ambos idiomas tem um origem comum. Ontem uma amiga me enviou esta musica, cujo título é Laila, Laila. Uma incrivel mistura destes dois belos idiomas: arabe e o hebraico. A canção originalmente é do Sudão e é cantada em árabe.

Me foi enviado também a tradução da parte em arabe. Segue:

lyrics in Arabic then the pronunciations and then the translation:
القمر بضوي وانا شن بلاني بالنجوم
Algamar bi-dawy w ana shin balany bi-lnojom
The moon is shining and why should I care about the stars ( metaphor)
غنو يا سلام ، سعادة لينا تدوم
Ghanno ya salam saada Laina Dom
Y’all sing for peace and then happiness will be for all of us
ام جبينة بضوي انا شوقي ليكي حزين
Om-jabina bidwy ana shoagy laiky hazin
Om-jabina is shining , I miss you sadly (his love )
زولي البريدو الليلة قيل وين
Zoaly l-barido al-lila gayal wain
I wonder where my love slept tonight
عشان ام زومة بسافر الاتنين
Ashan Om-Zooma basafir alitnin
Because of Om-zooma am traveling in Monday (his love)(second name)
عشان ام زومة بسكن الخرطوم
Ashan Om-zooma bskin lkhartoum
Because of Om-zooma am going to settle in Khartoum
Second, the story:
He loved her then she traveled , so he is going to move there for her.

And in hebrew:
לילה לילה ואתה זורח
Laila Laila ve’ata zoreakh
night night and you are shinning
לילה לילה חיוך לאורר ירח
Laila Laila khiukh le’or yare’akh
night night a smile in the light of the moon
הלילה הזה הוא הנצח עכשיו
halaila haze hu hanetzakh akhshav
this night is the eternity now
אם רק תושיט יד תוכל לקטוף לי כוכב
im rak toshit yad tukhal liktof li cokhav
if you only lift your hand you could get me a star
אולי הלילה יוביל אותי אליך
ulay halaila yovil oti eliekha
maybe this night will bring me to you
אולי הלילה אלך באור דרכיך
ulay halaila elekh be’or drakheikha
maybe this night I will walk in the light of your way
הלילה הזה מלא כוכבים
halaila haze male cokhavim
this night is full of stars
כשאני פה איתך גם השמים שמחים
cshe’ani po itkha gam hashamaim smekhim
when I’m here with you the sky is also happy
לילה לילה ואתה קורא לי
Laila Laila ve’ata kore li
night night and you call to me
לילה לילה אולי זה רק נדמה לי
Laila Laila ulay zero rak nidme li
night night maybe it only seems to me? (that he calls her)
השמש בבוקר תעלה מן ההר
hashemesh baboker ta’ale min hahar
the sun in the morning will rise from the mountain
ורוח חמה תשלח תפילה ממדבר
veruakh khama tishlakh tfila mimidbar
and a warm wind will send a prayer from the desert.